Brasileiros e novo mercado de trabalho

Brasileiros e novo mercado de trabalho

Em um país com desemprego de 13%, sobra vagas na área de tecnologia mas os profissionais não estão capacitados para preenchê-la

Atualmente, apesar de 13,4 milhões de brasileiros não conseguirem trabalho, pelo menos metade dos 70 mil empregos devem ser gerados por startups mas a meta de empregar deve ficar longe de ser cumprida por falta de mão de obra capacitada. Segundo a Associação Brasileira das Startups (Abstartups) apenas em janeiro de 2019, foram fundadas nada menos que 2 mil empresas no setor de tecnologia. É notável, então, que a medida em que as tecnologias se desenvolvem, o mercado de trabalho se modifica e os profissionais precisam acompanhar essas mudanças, não só por conhecimento, mas também por sobrevivência.

Diante do cenário de inovação e criatividade que a tecnologia criou sob a sociedade, independente da área de atuação, os profissionais devem, mais do que nunca, se reinventar e desenvolver novas habilidades. Do lado dos negócios mais maduros, aponta Brasscom, que reúne companhias de tecnologia de informação, a demanda de transformação digital em diversos negócios pode garantir que a receita do setor dobre até 2024, somando R$200 bilhões. Para chegar a essa cifra, as companhias vão precisar de 420 mil trabalhadores até 2024, segundo o presidente executivo da associação, Ségio Paulo Gallindo.

A escassez de profissionais não será resolvida facilmente, é difícil encontrar um trabalhador ávido em busca capacitação e com os processos tecnológicos como a automatização e a robotização, principalmente no que tange à inteligência artificial, eles devem, além de tudo, aprender a criar conexões com seu público, utilizando do capital emocional para humanizar o lado maquinatório das novas ferramentas, e assim, desenvolver relações interpessoais com flexibilidade cognitiva.

Informações: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,em-um-pais-com-desemprego-de-13-sobram-vagas-na-area-de-tecnologia,70002816007